• pregosoldschool

Lesão no Skateboard - Cirurgia no Joelho (LCA) - Ligamento Cruzado Anterior

Experiência de um Skatista...


O que irei relatar, é um momento particular que aconteceu comigo e acho legal compartilhar com os skatistas...


Iniciei no skate no ano de 1986 (aproximadamente com 12 anos de idade) na cidade de Ilha Solteira e sempre andei de skate mais pelo for fun, pelos desafios e principalmente pelo prazer, pelo bem-estar, pela sensação boa que o skateboard sempre me proporcionou, assim como o estilo de vida. Por volta de 1987, 1988, participei de alguns campeonatos de skate street style, nas cidades de Pereira Barreto e Andradina (todos no interior de Estado de São Paulo).


No final de 1989 mudei de Ilha Solteira para a minha cidade natal Ourinhos (SP), onde, durante o ano de 1990, conheci o skateboard de lá e no ano de 1991, mudo novamente de cidade, mas desta vez, volto para Andradina (SP), onde lá também conheço o skateboard da região. Isso de 1991 a 1993, 1994...



Carteirinha de skatista - BSocis - Ilha Solteira - SP


Primeiro modelo de skate que andei - Skate Bandeirantes - (imagem da internet)





A vida seguiu o seu curso e por volta de 1994 mantive o skate na veia. Desse período até o ano 2000, poucas foram as sessions que fiz, nada como a flexibilidade corporal do passado, mas ainda de certa forma estava na ativa, porém, mais uma vez dei "um tempo" e no ano de 2015, (aos 41 anos de idade), quis voltar a reviver o skateboard dos meus 15 anos de idade (mentalmente), mas o corpo não é mais o mesmo daquela época, claro que modéstia a parte, não estou um caco assim hehehe.


Mas foi nesse ano de 2015 que tudo começou, com uma torção no meu tornozelo esquerdo, andando na minirampa da loja Mundi Skate (na pista do Gaúcho, aqui em Curitiba), quando resolvi dar um drop vindo correndo da calçada com o skate na mão, dando um impulso na rampa e mergulhando pra dentro da transição dela. Crazy! Ou como eu chamo, Drop Dead hehehe, onde nesse momento, ao tocar a rampa, com o impacto, meu pé virou e pronto! Foi aquela dor e a sessão acabou por ali.



Momento da torção no tornozelo esquerdo.


Saí de lá fui na farmácia, comprei uma tornozeleira elástica e pomada para torção...

Cuidei por conta (o que eu não aconselho ninguém fazer isso), aplicando gelo, fiquei uns dias de repouso (aproximadamente 1 mês), sem andar de skate, mas a compensação de uma perna para outra era nítida, mas a teimosia ainda maior...


O Rompimento - a primeira vez que o joelho sai do lugar


Bom, eu já estava melhor (de certa forma), mas ainda estava com um certo receio e cuidado para eu não me machucar novamente. Tomei o meu skate num sábado a tarde eu fui remando para aquecer o corpo. Durante o trajeto para a praça 29 de março (aqui em Curitiba - PR) onde gosto muito de andar de skate, vi uma pequena depressão no asfalto e resolvi pular de ollie, foi aí que, para eu não sobrecarregar o peso do meu corpo no tornozelo esquerdo, inconscientemente (sei lá o que aconteceu) que no momento em que eu estava no ar, o meu joelho fez: "plek, plek". Uma dor terrível!!!!


Voltei para casa com o skate de baixo do braço, mancando tomei um banho e a dor foi aumentando. Resolvi ir ao hospital Cajuru, referência de fraturas e acidentes de trânsito aqui em Curitiba.


Fui atendido, o médico analisou, mexeu pra lá e pra cá no meu joelho, tirou uma radiografia, mas nada apareceu.

Ele me receitou analgésico, gelo e repouso de pelo menos 1 mês e meio sem skate...


O tempo passou cravado no período de 1 mês e meio hehehe e logo retomei ao skate.


O Rompimento - a segunda vez que o joelho sai do lugar


Resolvi andar no half pipe que tem aqui no parque São Lourenço, apenas para sentir o "flow" e numa dessas, resolvi varar uma parte do half de boneless caindo para o lado da grama (coisa de prego, nada de anormal), mas... foi aí que no dia 09/04/2016, aconteceu a segunda vez (ou como dizemos nos tempos de covid-19 "a segunda onda" rsrs) e o joelho desencaixou do lugar e fez novamente: "plek plek" onde a dor foi muuuito mais terrível!



Momento da dor.


Não tive mais dúvidas. Procurei um médico particular especialista em joelho.


O médico particular


Durante a consulta ao examinar o joelho ele logo de cara já me falou: "Xiii, está tudo solto, vai ter que fazer cirurgia do LCA (Ligamento Cruzado Anterior)". Mesmo assim para tirarmos as dúvidas, ele me solicitou uma ressonância magnética que me custou R$ 490,00 mangos e como eu não tenho convênio médico, foi tudo em cash na lata!


Levei o exame para ele avaliar e o diagnóstico foi o seguinte...


Impressão Diagnósitca:

-Sinais de condropatia patelar;

-Contusões ósseas do côndilo femoral lateral e platôs tibiais;

-Pequeno derrame articular;

-Rotura completa do ligamento cruzado anterior;

-Estiramento do ligamento colateral medial;

-Alterações degenerativas do menisco medial com rotura complexa no corno posterior;

-Menisco lateral com rotura radial no corno anterior;

-Lâmina líquido ao redor do ventre muscular do gastrocnêmio lateral sugestivo de estiramento...


Ufa!

Resumindo, eu tava fudido! hehehe


Perguntei quanto que custaria a cirurgia. Resumindo ficaria em torno de R$ 16.000,00 MANGOS!!! (socorro!).


Ressonância magnética mostrando o ligamento rompido.


O SUS - Sistema Único de Saúde


Não pensei duas vezes. Procurei o SUS - Sistema Único de Saúde aqui em Curitiba, expliquei o acontecido para o médico clínico geral, que logo já me agendou para o médico especialista em joelhos (tudo no SUS).


E para o meu espanto foi que, dentro de 2 dois meses após o agendamento, já fui chamado para fazer os exames clínicos no hospital Cajuru (referência aqui em Curitiba), coisa que normalmente demora muito mais tempo para ser atendido/chamado.


Fiz os exames conforme o pedido médico. Tudo certinho. E foi então que no dia 23 de setembro de 2016, fui me internar para a cirurgia.


As orientações para o dia da cirurgia no joelho (LCA) foram as seguintes:


1) Chegar às 6h no hospital;

2) Levar um par de muletas;

3) Jejum de 8h - Não comer e não beber nada a partir das 23h do dia anterior à cirurgia;

4) Levar exame de ressonância magnética para o hospital e para o centro cirúrgico;

5) MARCAR COM CANETA O JOELHO A SER OPERADO

6) Se decidir por não operar, avisar equipe médica com antecedência para que possa ceder a vaga a outro paciente.


Um detalhe muito importante!

Destacando o item 5 (cinco) acima...

Um dia antes da cirurgia, a pedido do médico, ele solicitou que eu desenhasse, marcasse com uma caneta em qual joelho seria feito a cirurgia. Vai que né?


O dia da Cirurgia - 23 de setembro de 2016


Tomei um táxi e chegando lá me apresentei à recepção. Logo uma enfermeira me chamou e me encaminhou para um quarto.

Coloquei a roupa para o procedimento. Logo após, ela me pediu para eu deitar numa maca e aguardar ser chamado...

Nessa hora a ansiedade já estava lá em cima. Mas há uns 3 meses antes dessa cirurgia, eu já vinha me preparando mental e espiritualmente, para que quando fosse chegado a hora, eu estaria preparado para tal. Nesse período, me abstive de álcool e praticava muita meditação...

Uma música que marcou muito pra mim nesse dia foi uma do Joey Ramone - Don´t worry abou me, mais pelo refrão: "Não se preocupe comigo" em português.





Após uma hora e meia (aproximadamente) a enfermeira retornou e me encaminhou para o centro cirúrgico. Ela me "estacionou" com a maca, ao lado da porta de entrada da sala de cirurgia e nesse momento entrei em meditação para que tudo ocorresse bem.

Logo, me apareceu outra enfermeira e me levou para a mesa de cirurgia. Lá, eu me encontrei como o meu médico, nós nos cumprimentamos e com ele estava mais uma equipe de anestesistas, médicos e enfermeiros.


A cirurgia no joelho


A anestesista pede para que eu fique sentado e que eu ia sentir uma "picada" na coluna. Era a anestesia raquidiana. Logo me deitei na mesa de cirurgia e nisso os enfermeiros iam me espetando soro, medicamentos, uma pano azul na minha frente como cortina e logo mais... eu apaguei...


Porém, durante a cirurgia, eu acordei com um barulho de furadeira, logo me liguei: "putz estão furando a minha perna (osso)", mas como eu estava anestesiado da cintura para baixo, não sentia nada (ufa!). Mas me lembro que olhei para os lados e eu estava com os punhos amarrados na cama (mesa de cirurgia) e com todo o barulho de furadeira, martelo, o escambau, eu falei durante a cirurgia: "SKATE OR DIE!!!" kkkkkk. Nisso um dos médicos veio até em mim e me perguntou: "O que você disse?" E eu sussurrei em seu ouvido: "Skate Or Die!" kkkk. Ele se afastou e depois disso eu não me lembro de mais nada. Voltei a apagar. hehehe


Terminado a cirurgia, me levaram para uma "sala" com umas divisórias com cortina, onde haviam outras pessoas nas macas. Tipo uma sala de observação.

Me lembro de uma mulher histérica, gritando: "deixa eu sair daqui!" enchendo o saco de todo mundo, a enfermeira tentando acalmá-la e eu disse pra enfermeira: "Dá uma injeção pra essa mulher dormir!" kkkkk


Após um tempo, me levaram de volta ao quarto e lá permaneci.

De tempo em tempo a enfermeira ia, me dava uns remédios e tals. Nesse período, eu ainda estava anestesiado das pernas pra baixo...


De repente, senti uma vontade enorme de mijar. A minha bexiga parecia que ia estourar! Aí fudeu!

Como eu estava anestesiado, não consegui soltar o mijo. Falei com a enfermeira, ela me trouxe uma "jarrinha" (papagaio) e me disse: "Se você não conseguir mijar, vou ter que fazer uma sonda".

Puta que pariu! Pensei comigo, nem a pau! kkkkk

Foi aí que me concentrei com os meus poderes Jedi que me foram passados (kkkkk) e... ufa! Saiu o mijo! hehehe


Daí em diante, tudo estava tranquilo...


Mais no início da noite, me levaram para um outro quarto.

Uma enfermeira mucho loka, me colocou na cadeira de rodas com as minhas coisas no colo (roupas, revista Tribo, revista Thrasher e tals)


e me levou para esse novo quarto. Porém como a minha perna estava dura (ereta) durante os corredores do hospital, a filha da puta ia abrindo as portas (aquelas de plástico) com a minha perna operada e no grande finale ao entrar no novo quarto a filha da puta erra a porta e bate a minha perna! Grrrrrr!!!!! Punk!


Mas beleza. Pernoitei nesse novo quarto que tinha mais algumas pessoas.

Mas o mais legal foi a janta. Me serviram lasanha, sobremesa mamão... aí perguntei para enfermeira: "Hei! Já que tem lasanha, cadê a Coca-Cola?" hehehe ela sorriu e não falou nada hehehe


Após a janta fiquei folheando as minhas revistas de skate Tribo e Thrasher e dormi.


No outro dia tive alta e fui pra casa...


Mas a história não acaba por aqui não!


Logo mais relato o pós-cirúrgico do joelho que foi a fisioterapia e a musculação, na qual senti na pele a dificuldade de locomoção que pessoas com deficiência física passam...



Fotos dos parafusos no joelho pós cirurgia


Se cuidem e...

Skate or Die for all!!!!

© 2020 por WEB2ELO.